Pular para o conteúdo
Voltar

Assuntos Financeiros assumem primeiro lugar no ranking de reclamações

Procon-MT - Av. Rubens de Medonça,917
FABYOLA COUTINHO - Assessoria/ Procon-MT

A | A

De acordo com a Gerência de Atendimento e Orientação da Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon-MT), das 4.695 reclamações registradas nos primeiros quatro meses deste ano, 1.440 ou 30,67% foram realizadas contra os fornecedores do setor de Assuntos Financeiros. Os bancos e as operadoras de cartões de crédito lideram os registros contra o setor, com um total de mais de 700 reclamações no órgão.

O aumento no número de queixas dos Assuntos Financeiros começou em 2008. Desde então, as cobranças indevidas, motivo de maior reclamação, tem levado muitos consumidores ao Procon-MT. Além dos primeiros colocados do setor, os consórcios (195) e os cartões de loja (159) são fornecedores que apresentam um crescimento expressivo no número de reclamações.

Os Produtos também registraram aumento nos registros de queixas, pulando da terceira para a segunda posição do ranking, com 1.391 ou 29,67% dos registros. Os aparelhos de telefones ainda lideram as queixas do setor (505), seguidos pelos móveis em geral (182) e os microcomputadores (107). Problemas com a garantia e os vícios de qualidade são os fatores que contribuem para o crescimento de reclamações contra as empresas do segmento.

Já o Setor de Serviços Essenciais, que por dois anos lideraram as queixas dos consumidores do Estado, ocupam, atualmente, a terceira posição entre os mais reclamados no Procon-MT, com 1.380 ou 29,46% das queixas. Tanto na Telefonia fixa (541), como na Telefonia Móvel (397), Energia Elétrica (256) e Água/Esgoto (153), as cobranças indevidas são os principais motivos de insatisfação dos consumidores.

Com relação aos Serviços Privados com 386 reclamações ou 8,21%, as empresas prestadoras de Serviços de Informática, como os provedores de acesso à internet, continuam sendo os fornecedores mais reclamados do segmento (75), juntamente com os Estabelecimentos de Ensino (54) e as TVs por Assinatura (36).

Na quinta, sexta e sétima posição do ranking do Procon-MT permanecem, respectivamente, os setores de Saúde (79 ou 1,685), Habitação (12 ou 0,26%) e Alimentação (8 ou 0,17%). Os dados são fornecidos pelo Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), o qual interliga as reclamações locais com o Ministério da Justiça, em Brasília (DF).

“A subida dos Assuntos Financeiros ao topo da nossa lista de reclamações refletem parte do superendividamento da população. A facilidade da oferta de crédito e o estímulo ao consumo são fatores que contribuem para este fenômeno. Assim, recomendamos muita cautela com o parcelamento das compras, principalmente pela alta taxa de juros cobrados pelas empresas” ressaltou a gerente de Atendimento e Orientação do Procon-MT, Priscila Garcia Moreira.

O consumidor que quiser registrar uma reclamação no Procon-MT, deve estar munido de RG, nota fiscal ou qualquer documento que comprove a relação de consumo. A sede do órgão está localizado na Av. do CPA, Edifício Eldorado Executive Center – nº. 917, bairro Araés e o atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 12h ás 18h. Já o posto do Procon no Ganha Tempo, na Praça Ipiranga, funciona das 7h30 às 18h30, e aos sábados, das 7h30 ás 12h30. Para mais informações ligue 3613-8500 ou 151.