Pular para o conteúdo
Voltar

Mato Grosso: Banco do Brasil e Procon discutem efeitos do fechamento de agências bancárias no estado

Solange Wollenhaupt

A | A

Representantes do Procon Estadual, órgão vinculado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT), e do Banco do Brasil discutiram os impactos do fechamento de agências bancárias em Mato Grosso, tendo em vista o recente anúncio do encerramento das atividades de mais de 400 agências no País. O assunto foi abordado durante reunião realizada na quinta-feira (24.11).

A instituição informou que está passando por um processo de reestruturação e que Mato Grosso será um dos estados menos impactados, pois apenas duas agências serão fechadas: a do Distrito Industrial, em Cuiabá, e da Vila Operária, em Rondonópolis (215 km ao Sul de Cuiabá). “Como as atividades das agências do Shopping Três Américas e da Unic já estavam sendo encerradas e os clientes migrados, o impacto agora é o do fechamento dessas outras duas agências”, explica a superintendente do Procon-MT, Gisela Simona Viana.

Em Cuiabá, com o fechamento do Banco do Brasil do Distrito Industrial, cerca de seis mil clientes serão migrados para a agência do Coxipó (localizada na Av. Fernando Correa da Costa, próximo a Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT). A migração ocorrerá efetivamente em fevereiro de 2017, mas em janeiro o banco começará a comunicar oficialmente os clientes, por meio de carta, SMS, entre outros canais, como o site www.bb.com.br/novoatendimento.

A superintendência do Banco do Brasil avalia que os impactos serão mínimos para os consumidores, pois também será aberto um escritório digital no estado (especificamente para quem faz todas as transações pela internet) e porque todos as pessoas jurídicas da agência do Distrito Industrial já foram migradas para a agência da Ponte de Ferro, que atende apenas esse perfil de cliente.

O processo de migração durará em torno de 40 dias. O Banco disponibilizou ainda um canal direto de atendimento ao Procon-MT para resolver qualquer problema que possa ocorrer. “Vamos acompanhar para ver se de fato não haverá prejuízos aos consumidores, como filas e maior demora no atendimento. Se algum consumidor tiver problemas, pode procurar o Procon”, alerta Gisela.

Além da superintendente do Procon-MT, participaram da reunião o conciliador de defesa do consumidor, Jeferson Neves Alves, o superintendente Estadual de Negócios, Varejo e Governo do BB, Sotero Sierra Neto, e o diretor de Marketing e Comunicação do BB, Alexandre Souza.

Proconsbrasil

Em virtude da notícia do fechamento de aproximadamente 400 agências bancárias pelo Banco do Brasil, a Associação Brasileira de Procons (Proconsbrasil) orientou os Procons de todo o País a notificarem o Banco para que esclareça quais medidas serão tomadas. O objetivo é evitar que o consumidor sofra qualquer tipo de prejuízo.

O banco deverá informar quantas agências serão fechadas no estado/municípios, quais canais de atendimento serão colocados à disposição do consumidor, bem como quais medidas serão tomadas para minimizar eventuais filas e demora do atendimento, queixa frequente de muitos consumidores.

Serviço

O Procon-MT é um órgão vinculado à Sejudh e atende na sede estadual, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (do CPA), nº 917, Edifício Eldorado Executive Center – Bairro Araés, de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h, para registro de reclamações, audiências, consulta de processos e protocolo de documentos.

Nos postos de Ganha Tempo da Praça Ipiranga e do Várzea Grande Shopping, o atendimento ao público também é de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h. No posto da Assembleia Legislativa (AL), o atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.

Outras informações podem ser obtidas pelos telefones 151 ou (65) 3613-8500.