Pular para o conteúdo
Voltar

Procon Estadual orienta os consumidores para Ceia de Natal e Ano Novo

Dominique Biancardini

A | A

O Natal é um período marcado pela fartura de alimentos, já que o momento é de confraternização com pessoas queridas. Por outro lado, é muito frequente o aumento do desperdício e dos preços dos produtos, em razão da grande procura por itens específicos, como panetone, aves e frutas.

Para evitar gastos desnecessários, a Superintendência de Defesa do Consumidor, órgão vinculado a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos – SEJUDH, elaborou algumas dicas para facilitar a compra de alimentos para as festas de final de ano.

Antes de ir ao supermercado, faça o planejamento do cardápio da ceia de natal, como forma de evitar a compra por impulso e a aquisição de produtos supérfluos. Se possível, compare os preços dos produtos nos panfletos publicitários que os fornecedores frequentemente elaboram, assim, o consumidor pode verificar quais os preços mais atrativos e ainda exigir o cumprimento da oferta, no caso de publicidade enganosa.

Verifique as condições de higiene e conservação de alimentos nos estabelecimentos, antes da aquisição. Se quiser economizar, dê preferência às frutas da época, geralmente mais baratas do que as frutas secas. Esta também é uma boa opção para a decoração da mesa e a elaboração de saladas ou pratos saborosos.

Não compre latas amassadas. Essas embalagens perdem a proteção natural da lata integral, a qual contém um componente que impede a migração dos metais que compõe o aço para o alimento.

Para frios, como queijos e presunto, a dica é comprar tudo que foi pesado e etiquetado ás vistas do consumidor. Evite adquirir produtos já embalados que normalmente são mais caros e sem acompanhamento do fracionamento e do processo de embalagem.

Atenção - Fique atento com a data de validade, pois alguns supermercados costumam fazer promoção de produtos que estão próximos de vencer. Normalmente essas mercadorias são colocadas em promoção, com preços bem abaixo do normal. Por lei, os fornecedores são proibidos de colocar no mercado qualquer mercadoria que possa colocar a saúde do consumidor em risco, por isso confira cuidadosamente os prazos de validade dos produtos e se encontrar qualquer irregularidade, denuncie.

Exija - A nota fiscal é a confirmação da relação de consumo e o documento que garante seus direitos.

Maiores informações podem ser obtidas junto ao Procon Estadual que atende ao público das 13h às 19h, de segunda a sexta-feira, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA) nº 917, no bairro Araés. O órgão também tem um posto de atendimento no Ganha Tempo, localizado na Praça Ipiranga, Centro. Os telefones para esclarecimentos de dúvidas são 151 e (65) 3613 8500.